Um poema de Joyce Mansour

POEMA Adoro fazer amor apoiada num animal Admirar os movimentos dos funestos áugures Que se agitam no teto em suas pantufas douradas Adoro extrair os órgãos do gênio mais sólido Para exibi-lo em pleno dia Sobre as loucas rendas de Bruges Adoro engolir os furiosos do Cáucaso Seus sexos têm um gosto de fome.  ____________________ […]