Um poema de Dorothea Tanning

ARTISTA, UMA VEZ ARTISTA, UMA VEZ Foi num quarto de aluguel. Com um cama e uma janela, o bastante para sonhar um fato surpreendente como estar no passado, e sem sombra de dúvidas em Nova Iorque, o suficiente para guardar, como na gravidez, essas telas ainda não pintadas ser. Incandescentes tomando tempo para chegar, pra […]