Um poema de Alfonsina Storni

  A INQUIETUDE DA ROSEIRA   A roseira em seu inquieto modo de florescer vai queimando a seiva que alimenta seu ser. Olha as rosas que caem da roseira: São tantas que findará desta desgraceira! Não é adulta a roseira e sua vida impaciente se consome em dar flores vertiginosamente.   [Fortaleza, 2016] *   […]